sábado, 31 de dezembro de 2011

2012 é o começo e não o fim

Há quem diga que essas resoluções não servem de nada, se logo no segundo dia do ano você esquece das metas que você tinha decidido que faria pelos próximos 365 dias dois dias atrás. A verdade é que muitas delas não funcionam porque as metas são um pouco, surreais demais, tem gente que coloca como meta ganhar na loteria, arrumar um namorado bonito, conhecer o mundo e parar de fumar e acha que vai conseguir fazer tudo isso em 1 ano. É claro que é passível disso acontecer, mas sejamos lógicos, a possibilidade é ínfima. E porque não começar no meio do ano? ou no 3º mês? Bem, li em algum lugar que precisamos de algo que pareça novo para animarmos de fazer as coisas. Se compramos um carro novo, temos muito mais animo de cuidar dele e lavá-lo toda semana do que num velho. É por isso que as dietas sempre começam na segunda, suponho.

Serei rica e glamourosa!

Revendo o ano que eu deixo hoje como memória, 2011 foi um ano muito bom para mim, eu passei no vestibular, depois de anos tentando. Amadureci muito e me vi mudando constantemente, gostando de novas coisas, fazendo coisas novas. É claro que mesmo fazendo coisas novas, o nível de risco eram bem pequenas ( tirando o dia que voltei de carona com o namorado bêbado da minha caloura, que veio dirigindo e vomitando, sem parar o carro, aquilo foi no mínimo muito arriscado) e de fato nunca me expus demais.
Esse ano também fiz a minha primeira viagem ao exterior, é até cômico dizer, mas é, foi outro país então conta: O primeiro país que pisei sem ser o Brasil foi o Paraguay! Nossa e é incrível, mesmo não tendo nada demais na Ciudad Del Este, perceber as diferenças raciais e ver o povo falando espanhol e guarani foi divertido. E devo dizer, as paraguaias são bem bonitas. Também pisei por uns 40 minutos na Argentina, quando passei no Duty Free Shop e como sabem, planejo viajar no meio de 2012 para lá! ( Ainn, estive em 3 países diferentes em um dia só!)
E vivi paixões intensas!

Bem, é isso, fiz muitas coisas mais importantes cujo a idade avançada já nem me permite mais lembrar!


12 Coisas Para 2012

1. Comer lasanha, chocolate e batata recheada sem desenvolver uma doença crônica não transmissível;
2. Viajar para Argentina/Chile
3. Começar um estágio na area de Nutrição
4. Estudar desde o início do semestre e tentar tirar mais 9 ou 7 do que 5 ( média)
5. Aprender a dirigir
6. Continuar a dançar
7. Fazer aulas de Natação
8. Reformular o Jaquetaesaia para melhor
9. Ficar menos no Facebook e ler mais livros
10. Terminar de escrever meu livro ( chick-lit)
11. Montar meus quebra-cabeças e emoldurá-los
12. Alcançar a auto-atualização

Confira o resultado das Insoluções de 2011

Bem, é isso, que venha 2012! Happy New Year!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A vida da Gente ou como fico brega a cada dia que passa


Férias é uma coisa incrível né, você viaja para a praia em Miami ou vai para a Disney com as amigas ou, faz como eu, fica em casa assistindo filmes e séries no Netflix. Dai esses dias, estava passando um filme bom na sessão da tarde e o filme acabou, começou e terminou malhação e começou a novela seguinte: A vida da Gente. Na hora eu comecei a prestar atenção na abertura, que é bem bonitinha, apesar da letra da música (que foi feita para grudar), e cena vai e cena vem, descobri como é a história da novela:

Ana é uma das filhas de Eva, é tenista e a queridinha da mamãe, é muito unida com a irmã Manuela, que não recebe a mesma atenção da mãe. Eva se casou novamente com Jonas, que já tinha dois filhos, um deles é o Rodrigo, que cresce junto com Ana e Manuela como irmãos. Só que Ana e Rodrigo se apaixonam, e desse relacionamento nasce Julia. Pouco tempo de ter o bebê, Ana sofre um acidente de carro grave e fica em coma por 5 anos. 
Num belo dia, Ana acorda lindamente do coma e descobre que sua vida perfeita está virada de cabeça para baixo, sua filha não a reconhece como mãe e o amor da sua vida está casado com ninguém menos do que sua irmã. Apesar de sofrendo por dentro, ela decide seguir a vida reconquistando o amor de sua filha e ignorando a paixão que sente por Rodrigo sendo consolada pelo lindo neurologista que cuidou do caso dela por todos esses anos.  

Juro, imagina isso com você? é muito triste! Essa história me cativou, porque fico muito agoniada  para saber como a situação vai se resolver. Eu entraria em depressão profunda se isso acontecesse comigo. E nem consigo me decidir por qual cara a Ana deveria ficar porque os dois são tão lindos e fofos! E a amizade com a irmã como ficaria se ela roubasse Rodrigo de volta, sabendo que a irmã sempre foi a rejeitada pela mãe, ofuscada e sem graça que cuidou da sua filha como tanto amor?

Sim, fico mais brega a cada ano que passa. Assistindo novela, fazendo tricô, criando gatos, um ou dois anos mais e eu fico a tarde inteira assistindo Sônia Abrão e fofocando sobre a vida dos outros com as vizinhas.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Santa, be kind to me!

Apesar de ter nascido tão perto do dia de Natal ( e ganhar só um presente pelos dois), eu adoro esse clima do fim de ano sabe? as pessoas estão de férias, portanto bem mais animadas para sair e encher as lojas de alegria e  paciência comprando presentes para as pessoas para distribuir os bens entre as pessoas carentes e tudo o mais.
Pensando nas pessoas carentes é que eu vim fazer uma mini-lista de desejos que você, amigo, amiga, família, irmãos e afins podem querer me dar nesse natal! ( suéter de renas e luvas de cozinha nunca mais!)

- Box de Gilmore Girls: Porque é um must-have pessoal de toda mulher auto-atualizada. Guia de referência cultural, Brasil!.

- Box de livros Game of Thrones: desde que a minha curiosidade me fez baixar o primeiro episódio da série, e depois outro e logo outro e então eu assisti a primeira temporada inteira em quase uma semana ( tá, foi mais de uma semana porque eu não são tão desocupada como eu gostaria). Então eu me apaixonei por John Snow, e pela ação, morte, sangue, cenas assustadoramente calientes e pelo jogo de intrigas. Tudo o que  uma boa série precisa ter, na medida certa. Dai eu quero ler as 2500 páginas dos três primeiro volumes, que devem ser muito melhor do que o seriado que já é bom!

- Moleskine: Você deve estar pensando " A Thamy é muito hipster!" verdade, sou mesmo, não sabia o que era moleskine até o meu amigo Nilton me dizer que queria um, dois anos atrás. E então começar a perceber que todas as pessoas legais que curtem viajar, costumam anotar tudo num moleskine. Eles são perfeito para viajantes e como em breve pretendo me tornar uma, quero anotar tudo no meu. 


- Livro: 100 lessons in classic ballet: para melhorar o meu inglês e a minha dança. 
- Guia de viagem: Buenos Aires Fico de cara de como as editoras adoram explorar os pobres viajantes com um simples resumo de restaurante, hotéis e mapas de várias cidades turísticas e dicas de onde ir. Se não fosse alguns detalhes ou outros muito interessantes, poderia dispensá-lo pela ajuda do Sr Google.
- Colar de coruja: tô apaixonada por corujas. ô,ô

Nem sei dizer se fui ou não uma boa moça esse ano e se me comportei bem, mas fiz de tudo para não piorar a situação nas horas que dava vontade de dizer coisas horrorosas lindas. Dear Santa, lembre-se que pessoas solteiras merecem presente dobrado. 

Feliz Natal ( ou Hanukkah!)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Beautiful - Fim de semestre - Ballet e outras coisas mais


NÃO MORRI!


Drama: 
Estou tentando voltar com novidades, um layout novo, um novo conceito de blog, mas o final de semestre está me consumindo ( Deus, porque as minhas notas caíram tanto?) e estou suando a camisa para não reprovar nenhuma matéria - nunca usei minhas cartas "recuperação" na época da escola, eles podiam me deixar usar elas agora - e ainda dormir, sabe.
Alegria:
Ando tendo muito ensaios para o musical que vou apresentar com a escola de balé, estou tão empolgada em dançar num palco com público, que sinto meu estômago revirar e os pés e mãos suarem frio. É muito emocionante fazer algo que você gosta acontecer. Assim que apresentar e se houver fotos legais, mostro aqui para vocês. Mmm...*pulinhos ridículos de alegria*

Novos vícios
Gilmore Girls, Hart of Dixie e Revenge ( espero fazer um post em breve)

Música: Amei a versão da música da Christina Aguilera cantado por essa moça, assistam:



"Eu sou bonita não importa o que eles digam
Palavras não vão me fazer cair
Eu sou bonita em todos os sentidos
Sim, palavras não vão me fazer cair
Então não me faça cair hoje"

Se temos que lembrar todos dias de algo é que somos perfeitos em todos os sentidos e apesar do que a industria do entretenimento, da moda e todas as outras culturas nos fazem acreditar que não nos enquadramos nos padrões, somos bonitos. E não deixem palavras negativas te fazerem cair.

É isso, espero que vocês não me esqueçam!





segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Planning Travel: Argentina e Chile


Jardim japonês em Palermo
Se tem uma coisa melhor do que realizar sonhos é sonhar. O que nos mantêm vivos é a possibilidade de fazer planos para o futuro e pensar sempre nas coisas que vamos fazer depois ( a gente nunca pensa muito no agora, só no depois). 
Bem, estou planejando o futuro e fazendo isso acontecer, e como um dos meus sonhos é viajar para Buenos Aires ( não sei exatamente o porque, mas acho que é principalmente para comprar caixas e caixas de alfajores) e se a grana der, dar uma esticadinha no Chile. Na verdade, o Chile me encanta muito mais do que a Argentina, mas não tem alfajores. O que é uma pena.
Dai que como estou planejando ir para lá no meio do ano que vem, tipo em Junho ou Julho e estou totalmente perdida. Tudo seria mais fácil se eu fosse uma pessoa normal que compra um pacote turistico, paga em 6 a 12x no cartão, curte uma semana lá e fica feliz pronto. Mas eu não sou dessas e minha companheira de viagem também não e nós queremos fazer mochilão. Bem, programa de indio.

Quero ficar numa pousada que alguém que more lá dormiria se fosse para Buenos Aires, não um hotel que a noite custe U$65 por exemplo. Quero comer com o povão, e experimentar boa parte dos pratos típicos. E quero passear pelas ruas, pegar ônibus sem rumo e vê aonde a vida me leva. 
É claro que antes mesmo de ir, já elegi o bairro de Palermo como meu favorito, quase tudo que leio sobre lá, as melhores coisas estão em Palermo. Como o Jardim japonês por exemplo, entre outras coisas. Assim como  no Chile eu elegi o Estreito de Beagle como lugar que eu tenho que passar nem que seja para tirar uma foto.
Geleira no estreito de Beagle no Chile

Dai descobri que dá para ir para o Estreito de Beagle pela Argentina se eu for para Ushuaia, que é uma zona franca, livre de impostos e podemos fazer compras como se fosse num free shop e fazer uma excursão para (  olha só que nome maneiro): Parque Nacional da Terra do Fogo. E isso é meio que na Patagonia


Preciso planejar o resto da viagem, quanto vou gastar com todos esse transporte, alimentação e hospedagem, entradas em pontos turisticos privados ( como o jardim japones por exemplo) e quanto tempo vou ficar em cada lugar, que tipo de mala levar, com que tipo de roupas são essenciais. Ando querendo muito um moleskine para começar a anotar tudo e coisa e tal, para virar meu diário de viagem. 

Planejar é tudo de bom, mas realizar isso vai ser ainda mais bacana! 

Hasta luego hermanos!

sábado, 15 de outubro de 2011

October, November..oh wait!

Na melhor forma aos 20?


Estou em pânico.

E não daqueles pânicos rídiculos de " Ò, é o fim do mundo, a minha unha que estava deixando crescer faz séculos quebrou, o que vai ser de mim agora?" não, longe disso. O meu pânico tem origens muito mais profundas e existencialistas do que uma unha quebrada. É que, queridos 2 ou leitores ( oi, mãe! oi, vó!), estarei a fazer 20 anos em dois meses e alguns dias e bem, para duas décadas de existência nunca fiz nada de muito memorável, sabe.

Tipo, é aquela filosofia antiga de " nascer, crescer e se reproduzir e morrer" só que numa versão atualizada 2.0. O mundo espera que você complete algumas tarefas no decorrer dos anos. Por exemplo,dos 5 aos 15 ir muito bem na escola, dos 15 aos 20 anos passar no vestibular e namorar, dos 20 aos 30 conseguir um bom emprego e casar e ter filhos, dos 30 aos 40 melhorar o emprego e manter o casamento. Essas coisas, mas é claro que isso é uma lista não-explicita, mas dá para ler nas entrelinhas. E, chegando aos 20 devo me concentrar nas novas tarefas (conseguir um bom emprego, casar e ter filhos), mas eu mal fiz as antigas.

Outra coisa que me deixa em pânico é que aos 20 anos que se está no pico daquele gráfico mental da " Forma versus Tempo" ( aliás, esse gráfico também está implícito) e os 20 é definitivamente quando você tem que estar na sua melhor forma. E eu levo isso muito a sério, já que, quando estiver com 40 anos e mal conseguir subir as escadas, como vou poder dizer para os outros " Você tinha que ver quando tinha 18, corria meia maratona todos os dias, dançava por horas sem cansar, era incansável!"  mas de fato, a única maratona que faço (e sou muito boa nisso, by the way) é de seriados.

E estou pensando seriamente em começar um projeto 20: "20 coisas para melhorar antes dos 20", bem coisa de revista Cláudia.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Jaquetaesaia Birthday: 5 years


5 anos de blog.

      Se fosse um filho, estaria no meio do jardim de infância, naquela época sapeca que pergunta o porque de tudo, que não para quieto nem por um minuto, quer brincar o tempo todo e parece um anjinho quando dorme.
 Nem acredito que se passou tanto tempo desde que comecei a escrever sobre qualquer coisa que se passava na minha cabeça aos 14 anos, que naquela época, não era nada muito inteligente e coerente, devo assumir. Não tinha noção de redação, não era muito antenada e mal sabia mexer no computador. Oh wait, eu ainda sou assim.

E depois de 5 anos, meu blog não é lá muito famoso, como alguns por aí que as blogueiras ganham mil brindes de milhares de marcas, vão viajar para conferir semanas de modas, tem 1785329 comentários a cada  postagem e livros publicados e sabe o que é pior, eu simplesmente gosto do anonimato do blog e da não-popularidade do blog.

Não sei se já falei aqui, mas acho que tenho pavor da fama. Não da parte dos brindes, viagens legais e tal, essa parte eu gosto. Mas a parte de ter várias pessoas dizendo que gostam de mim, que leem o meu blog ou me reconhecendo na rua. Isso me assusta. Já contei da vez que uma conhecida veio comentar comigo uma postagem que eu tinha feito e eu quase caí para trás e na hora devo ter ficado meio roxa de vergonha e espanto, e ai ela me disse que não sei quem tinha falado para ela do blog? pois é, eu tenho esse tipo de reação toda vez. Vivo reclamando para a minha irmã não publicar meu blog no subnick do messenger e outros lugares  na internet, para que ninguém veja.

Acho que é por isso que nunca tentei escrever um livro, apesar de querer muito.

Até hoje eu morro de medo de quem me conhece ( parentes e amigos, conhecidos distantes e desconhecidos   de perto) que lê o blog. Nem sei o que é pior, se é me contar que lê meu blog e eu morrer de vergonha ( embora morrer de vergonha seja fisiologicamente impossível) ou de não ter noção de quem anda lendo e sabendo que você anda faltando a academia e tirando notas baixas na faculdade- que você jura de pés juntos que tá indo muito bem- porque leu no seu blog e tal.

Muita coisa mudou na minha vida desde Outubro de 2006. Naquela época fazia o PAS da UnB, estava no primeiro ano do ensino médio e estava começando a ter muitos amigos na minha nova escola, morava sozinha com a minha irmã aqui em Brasília e a Rihanna só era conhecida por mim, porque eu era uma das poucas que assistia MixTv. Hoje em dia eu estudo na UnB, no primeiro ano do curso de Nutrição, tenho vários amigos, não moro mais sozinha  e todo mundo sabe quem é a Rihanna, embora nem todos assistam a MixTv.

Os amigos. O melhor dos presentes que pude ter com o blog foram eles. Quanta gente bacana eu conheci. Já conheci pessoalmente alguns que moram longe, outros que moram perto, já troquei cartas e presentes. Já planejei viagens para visitá-los e essas pessoas são tão importantes quanto os que estão perto claro. Escrever um blog é uma ótima terapia, se quiser saber.

Bem é isso. Espero continuar aqui, nesse blog, apesar de tudo por vários anos, compartilhando minhas histórias idiotas da  ba-da-la-da vida que levo, minhas inseguranças, coisas aleatórias que encontro na internet e pesquisas opinião de extrema importância relevância mundial.

E então, Pessoas que usam sombra prata, leggings com crocs deveriam ou não ir a prisão por atentado contra a humanidade? vote!

domingo, 25 de setembro de 2011

E eu achava que estava na pior...


Instalaram painéis eletrônicos na rodoviária de Brasília no lugar da placa velha que tinha papéis impressos com os números dos ônibus e quais percursos faziam. Agora, o painel eletrônico faz isso, Ainda é um mistério para mim se o esquema das linhas que são mostradas no display são de ônibus que estão parados para embarque de passageiros ou se estão chegando, só sei que entre as linhas mostradas, aparecem comerciais enaltecendo o nosso 'maravilhoso' governo, dicas sobre saúde e eventos e o horóscopo.
Esses dias passou o horóscopo para sagitário:
"Criar um mundo imaginário pode ser uma boa alternativa para esquecer dos problemas reais"

E é ai que você percebe que está na pior, quando até os astros dizem para correr para as montanhas congeladas de Nárnia ou tentar pegar o expresso de Horgwarts. E tudo bem, que o resultados das primeiras provas na faculdade ainda nem sairam, então não posso falar da minha agitada vida acadêmica. Mas a minha vida profissional  e meus relacionamentos estão competindo com o Papai Noel para saber quem é mais real e existente. Papai Noel está ganhando de lavada.

Não vou me apegar a minha vida profissional tanto ainda, estou no começo da faculdade e preciso me focar no conhecimento. E então chegamos ao ponto mais complicado de tudo: relacionamentos.
Não sei mesmo aonde errei, se foi não ter andado com as garotas populares da escola para aprender as sacadas mágicas de sedução e tal ou se foi por ter lido 'Orgulho e Preconceito' e ter hoje altas expectativas sobre os caras quão qual me envolver.

Tempos atrás, conheci um cara gentil que faz aulas junto comigo. A princípio nem dava muita atenção, apesar de ele sempre perguntar alguma coisa qualquer e se oferecer para me ajudar. Eu sabia que ele andava me observando e comecei a reparar mais nele. Minha amiga dizia que ele era um fofo. E então, comecei achar ele assim e...nada. Ele simplesmente não arruma nenhuma desculpa para falar comigo ou coisa assim, assiste a aula e vai embora. Parece que foi coisa da minha cabeça ( provavelmente foi).

Se de fato ele se interessou por mim nas primeiras aulas, começo a achar que há algo que eu faço costumamente que assusta os caras, não sei bem o quê, se é falar demais, cara de confusa e blasé, risada retardada ou uma voz chata,  mas-tem-algo-errado.

E eu não entendo o porquê, já que na minha cabeça, sou o tipo ideal de namorada: odeio DR, não sou ciumenta, não sou pegajosa (e odeio pessoas grude - argh), adoro filmes de ação e suspense ( e dependendo do horário até de terror!), acho ridículo apelidos carinhosos e constrangedores e não costumo ligar o tempo todo para ninguém ( talvez eu irrite um pouco com o fato de nunca atender o celular, mas pelo menos não fico mandando sms e ligando a cada 5 minutos). Eu sou tão legal, que casaria comigo! Tá, estou brincando.
Estou pensando seriamente em seguir o conselho do horóscopo e criar um mundo imaginário aonde eu possa me dar bem nele.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

É agora ou nunca.
O tempo de encarar todas as dificuldades da infância, todos os medos e resolver todos os problemas mal-resolvidos que deixei para trás.

domingo, 4 de setembro de 2011

I can't badly wait to watch!

 Apesar da falta de tempo para ir ao cinema, passear, dormir e respirar. Fiz uma seleção de filmes que vão estrear esse ano que eu tenho-que-ir-assistir-de-qualquer-jeito . Porque nem só de trabalhos acadêmicos, relatórios, artigos, energéticos e sono nas horas vagas vive um estudante universitário ( embora, seja praticamente isso), mas de toda a diversão que ele consegue ter enquanto faz tudo isso. And the Oscar goes to:


A little bit of Heaven (Trailer)

Enredo: Kate Hudson ( ainda não sei o nome da personagem) é uma publicitária engajada e de sucesso, que tem diversos rolos, mas não se sente pronta para compromissos sérios . Quando descobre que tem câncer, além de flertar com o próprio médico ( Gael Garcia Fofo Bernal) e se apaixonar por ele, ela percebe que tem mais medo de relacionar do que de morrer.
Porque eu quero assistir? A Kate é totalmente igual a mim nesse filme, tirando a parte que eu jamais sairia flertando meu médico ( ainda mais se fosse lindo como o Gael) e nunca em hipótese nenhuma daria o fora naquele cara que acorda na cama com ela ( que eu sempre esqueço o nome do ator, mas who cares?), mas sim na parte sobre medo de se comprometer e tal e de ser muito otimista.




Source Code - make every second count( Trailer)


Enredo: Jake Gyllenhaal acorda num trem num corpo desconhecido e sem entender nada, até descobrir que ele está sendo usado pelo governo americano num experimento para prevenir ataques terroristas. Ele tem cerca de 8 minutos para descobrir quem é que colocou uma bomba no trem em que está, que roupa está vestindo e que time ele torce ( brinks), é claro que revivendo esses 8 minutos diversas vezes vai dar tempo dele se apaixonar pela mulher/namorada do cara do corpo que ele está e tentar salvar a vida dela que 'morreu' no atentado do trem.
Porque eu quero assistir? Cada dia mais gosto de filmes de ficção científica e ação, sentir toda aquela adrenalina de não saber o que vai acontecer ou de ter que raciocinar qual vai ser a próxima ação. E todas aquelas cenas onde o cara dá um pulo cinematográfico, explosões, tiros e é, vocês entenderam.




What's your number? (Trailer)


Enredo: Anna Faris teve uma série de relacionamentos estranhos e se pergunta se algum dos seus ex não poderia ser o certo. Ela decide ir atrás deles para saber que fim tiveram ( porque segundo ela todos estão numa vida melhor o que ela) e pede ajuda ao seu vizinho garanhão Chris amor-platônico-do-momento Evans. Na verdade ela meio que o chantageia, mas tudo bem. Sim, é aquela velha história clichê que é feita para ser blockbuster, mas quem liga? se eu quisesse profundidade ia ler Dotoiévski ou ver documentários da BBC sobre a África ou Aquecimento Global,
Porque eu quero assistir: Chris Evans, preciso dizer mais alguma coisa?






One day (Trailer)


Enredo: Anne Hathaway e Jim Sturguess se conheceram no dia 15 e Julho de 88, na formatura. E a história de amor e amizade deles é contada ao longo de 20 anos nesse mesmo dia 15 de Julho. É incrível ver a variação da vida, dos sentimentos, das atitudes ao longo do tempo. E, Anne Hathaway é excelente nesses filmes de romance com doses de drama. O trailer parece entregar a história toda, então eu realmente estou esperando para ver se o filme vai me surpreender ou se as melhores cenas estão todas no trailer.
Porque eu quero assistir? I love Anne Hathaway e também esse tal de Jim é uma coisa não? meu número. E apesar de parecer clichê ( e é) gosto de ver  romances que saíram de livros, eles tem mais conteúdo, na maioria das vezes.
Aliás, queria fazer um adendo que: Eu quero muito ler o livro antes de ver o filme que só sairá em Dezembro ( falta uma vida para dezembro chegar) e como quase todos os livros que eu quero muito ler, está uma fortuna - quase 30 reais!- e eu estou falida, então, se alguém quiser antecipar o meu natal e me fazer feliz, pode me dar, que serei eternamente grata e feliz.




Sherlock Holmes: Game of shadows (Trailer)


Enredo: Ao investigar o assassinato do príncipe da Áustria, Sherlock Holmes( Robert Downey Jr), o maior detetive do mundo, e seu amigo e associado Dr. Watson (Jude Law) enfrentam o perigoso mestre do crime, Professor Moriarty, com a ajuda do irmão do investigador, Mycroft Holmes e de uma cigana romena chamada Sim.  ( obrigado Dr, Wikipédia).
Porque eu quero assistir? O primeiro filme foi excelente, não li a série de livros na infância então não posso dizer se é melhor ou não que o livro e bla bla bla que todo fã de uma série de livros faz sobre seu mundo imaginário da leitura ser diferente da do diretor do filme, mas achei as cenas de ação boas e levemente surpreendente ( não dava muito para prever o que ia acontecer, como na maioria dos filmes) e os diálogos divertidos, com toques de sarcasmo.  A dupla JLaw  e Robert D. Jr é muito boa em cena também.


E vocês, qual(is) desses filmes vocês se animaram para ver? tem algum outro que vocês mal podem esperar para estreiar também?


P.S: Comentário como " Mal posso esperar para ver a primeira parte de Amanhecer..." serão deletados e os usuários banidos. Brincadeira, esse blog não discrimina ninguém e nenhum filme...ah tá.





segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Marcha pelo Patriotismo: Brasília


Brasília anda resplandecente como sempre. O sol brilha e a cidade é incrível, mesmo crescendo perto daqui, pareço um turista, acho tudo muito lindo. Aliás, é impossível não reparar nas fontes que ficam jorrando água para o alto e nas árvores, quando se está em um engarrafamento por umas três horas por causa de alguma Marcha Pela liberdade de Expressão ou Marcha Pelo Uso Livre de Calcinhas Bege sem Descriminação. Por invariáveis 20 ou 30 minutos, não tem como não reparar nessa linda beleza da sombra que as árvores produzem  no chão.

Muitos movimentos culturais, sociais e políticos ocorrem com uma frequência maior nos últimos tempos, não sei se isso sempre ocorreu e eu nunca reparei ou se isso é algo novo. Mas enquanto espero meu ônibus na estação rodoviária, não deixo de reparar em alguns pontos coloridos no céu, sobrevoando todos os cantos dessa cidade maravilhosa que não para de surpreender. O vento os leva a cantos inexplorados e eles tem uma visão incomum dessa pequena cidade grande. É tão divertido, que já me peguei cutucando a pessoa da frente e apontando pro céu para mostrar as curvas que esse pilotos de asa delta fazem como se o céu fosse seus habitats naturais.

Apesar de todos os seus defeitos ( e que cidade não tem?) e tenho certeza que existem muitas cidades mais belas que ela, Brasília tem seus encantos, pistas com muitas faixas, obras de artes espalhadas e prédios enormes e modernos competem  com algumas casas simples, mas não menos luxuosas ou exuberantes. E é impressionante como é agitada na semana e no fim de semana parece que dorme. Isso porque diariamente milhares de pessoas das cidades vizinhas saem para trabalhar e o já citado congestionamento, é inevitável.

Brasília anda resplandecente como sempre e cada dia mais linda, essa é a cidade que eu vivo e tenho orgulho de mostrar o melhor dessa cidade para o mundo. E daí que não somos Paris? se todas as cidades fossem iguais, qual seria a graça de viajar? 

E aí, quem topa fazer um lindo texto ressaltando o que há de belo e o que há de péssimo na cidade em que vivem? não esqueçam de deixar um link porque faço questão de ler!

domingo, 7 de agosto de 2011

Princesas com miopia


Podem dizer o que quiserem, mas duvido que vocês achem que elas ficaram mais sexys e descoladas depois que colocaram esses óculos. Estão todas com caras de nerds que sofrem bullying na escola. Esse é o meu ponto.

PS: A Ariel ainda nos surpreendendo sendo aquela típica menina que fica bem com tudo. Ariel, sua feia.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Capitão América



Steve Rogers é um cara baixinho, fraco, asmático e acostumado a apanhar é obstinado a entrar no exército americano para lutar na segunda guerra mundial. O problema é que ele não é bem o tipo ideal de homem para o exército, que o dispensa várias vezes. 
Richard, seu lindo.
Até que, em uma feira, um cientista das forças especiais do exercito, repara no seu sentimento de patriotismo ( quando ele discute com um amigo para se alistar novamente)  e resolve testá-lo em seus experimentos para formar supersoldados. Com invasão do local de testes, por um agente infiltrado de Hitler ( interpretado sagazmente pelo lindo do Richard Armitage), tudo acaba perdido e o cientista morto, tornando Rogers o único supersoldado com metabolismo acelerado e alta capacidade de regeneração ( e devo acrescentar: muito gostoso).
Rogers então se torna um ícone da América, arrecadando dinheiro para bancar a guerra, com filmes e propagandas que estimulem o patriotismo do povo americano, e fica conhecido como Capitão América. Mas a segunda grande guerra não é o foco em si, e sim  combater as bases de um antigo experimento do mesmo cientista, Alguma-coisa Smith ( desculpa não me lembrar o nome, mas fiquei ocupada demais reparando no Chris Evans, para me importar com detalhes bobos como o nome do principal arqui-inimigo do Capitão América) que tem a  ideia muito original de dominação mundial.



Apesar de ter cenas da ação em que os personagens usam tecnologias bastante sofisticadas para o período de 1940 ( O continuista, o produtor ou roteirista - eu não sei quem eu devo culpar- dever ter tirado nota baixa em história quando criança) ou até mesmo para hoje, o que faz o filme perder o ar realístico misturando um fato marcante da  história mundial  com o clássico personagem de quadrinhos criado no período com essa tecnologia que nós sabemos que não existiu mesmo com todas as corridas cientificas do período.

O final do filme deixar um ar de que vai ter continuação, e ter sido lançado bem na mesma época que o último filme da saga lendária de Harry Potter não ajuda muito para que seja um sucesso de bilheteria, estou torcendo para que isso não os impeça de fazer uma continuação. Pena que, no novo filme não vai ter a estimada presença do Richard Armitage ( que mesmo aparecendo tão rapidamente no filme, para mim foi papel essencial).

Recomendo.

sábado, 16 de julho de 2011

Shit that my dad said




Faz um tempo que eu venho cogitando em usar lentes de contato ao invés de óculos. Meu óculos está me incomodando muito, deixa meu look muito pesado e eu pareço muito nerd. Simplesmente cansei e, como eu sei que meu pai acharia totalmente desnecessário comprar lentes para mim, tive que inventar uma desculpa interessante para que ele possa cogitar na ideia de eu usar lentes ao invés de óculos. Segue o diálogo:
- Pai..
-Hum?
- É que eu estava pensando...
-No que você estava pensando?
- No motivo pelo qual eu não tenho um namorado.
- É porque você ainda não passou em um bom concurso público..
- Não, é porque esse óculos me deixa meio assim..com cara de muito inteligente pai e eu acho que homens não gostam muito de mulheres muito inteligentes, deveria usar lentes!
-...depois que você passar em um concurso publico, vai chover caras interessados em você...
-Eles vão estar interessado no meu dinheiro, não em mim...enfim, eles se sentem ameaçados por mulheres inteligentes.
-...e ai você vai poder escolher de qual você gosta mais...é claro que homens gostam de mulheres de inteligentes!
- Gostam não, imagina você casa com uma mulher inteligente, que logo vai passar a perna em você ou coisa assim, ficar te humilhando porque ela é mais esperta, ficar dizendo que..
- E quanto é essa lente, afinal?
É claro que no meio disso tudo ele também disse que eu iria perder as lentes, que eu não tinha responsabilidade para isso e outras mil coisas mais, mais o importante ressaltar é: Olha só os conselhos de pai que eu recebo! Se o seu próprio pai diz que você só vai ter namorado quando tiver um emprego fixo, muito dinheiro na carteira, o que dirá o resto do mundo? aliás, dizer para eu só esperar para ter um namorado quando eu tiver no funcionalismo público é dizer para eu perder as esperanças...

                                                    ...no amor 

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A crise dos 20 anos



Estava ali no twitter falando sobre como eu gastaria meu salário no combo: roupas + maquiagem + sapatos se tivesse um emprego ou coisa assim. E ai me lembrei dos livros. Todo mundo que lê meu blog faz um tempo ou me conhece faz um tempo sabe que eu AMO livros, mais do que ler, eu amo tê-los pertinho de mim na minha cabeceira e a tira colo. E que meu sonho nesse mundo, além de casar com um cara legal e descolado estilo Orlando Bloom, é ter uma biblioteca. Como eu pude me esquecer deles? eu era do tipo que juntava moedinhas para comprar livros toda semana, mês.
E foi então que  a ficha o cartão de crédito caiu. Eu mudei. 
Para a Thamy de uns tempos atrás ( não calculei o tempo ainda), livros era as melhores coisas que eu poderia querer comprar no meu aniversário, em dias que a gente acorda consumista e quando eu me sentia triste, era tudo que dava um up no meu humor. E outra diferença sutil, mas bem significante, como minhas médias caíram. Antes sem nenhum esforço, minhas notas eram sempre por volta de 7 - 10 e muito raro menos do que isso. 
Hoje, quanto mais estudo, mas minha nota cai, é incrível. Estou levando pau em quase todas as matérias da faculdade e estou ficando imensamente feliz com uma nota 5, suficiente para passar. Eu nunca fui assim! A antiga Thamy odiaria ser a segunda da classe, hoje ela é uma das últimas.
E a realidade é que de cool-nerd passei para uma fashion-cool. Continuo sendo legal, mas não sou a mesma de antes, não sinto vontade de fazer amigos como antes e hoje em dia adoro me arrumar e cuidar desses assuntos de beleza/saúde/esportes e estou viciada em maquiagem. Juro. Nem parece eu, que gostava de tudo que tinha a ver com Filmes/séries/livros ( mais eu ainda gosto disso!).


É claro que mudanças sutis acontecem todos os dias e a gente nem percebe, mas imagina um dia você acordar totalmente diferente do que você é hoje e se perguntar "Como é que eu virei essa magrela chata que fala de painéis solares e coisas recicláveis e come tudo orgânico? Oh my God eu sou vegetariana!"
Enfim, depois que eu fiz minha primeira compra internacional de maquiagem e ando frequentando Happy Hours da vida, talvez mesmo eu esteja abandonando os ursinhos de pelúcia e investindo em saltos porque eu estou sofrendo da crise dos 20 anos.
Só uma coisa não mudou ao longo dos anos: minha habilidade para relacionamentos amorosos, sempre ruim.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Status:

...tentando sobreviver ao primeiro fim de semestre de muitos que irão vir.


P.S: Se o status de alguém aqui for "Férias" ou "Curtindo à vida adoidado em Paris" favor não me dizer!

domingo, 5 de junho de 2011

Só queria dizer "Oi"

...Perguntar como vai o seu dia e te ouvir falar por uns minutos sobre o que te aconteceu. Talvez eu nem preste atenção de fato ao que você está falando, mas fique reparando os movimentos do seu rosto quando está concentrado em algo. Então, soltarei umas leves risadinhas de em quando, de uma ou outra coisa que ouvi ou só porque você está rindo. Iriamos ficar procurando soluções revolucionárias para os nossos problemas cotidianos ou até mesmo você iria me ouvir dizer "Não liga para isso não, com tanta coisa para se preocupar nesse mundo, porque iremos nos importar com problemas tão insignificantes". Ou, talvez não fizéssemos nada disso, apenas olharemos um para o outro com olhares simples, mas que carrega tanto significados quanto um dicionário.
Não importa muito o que pode acontecer depois, só queria, por apenas um momento, um instante não hesitar   emr dizer "oi" sem medo do que pode acontecer depois.



sábado, 21 de maio de 2011

E se sua vida acabasse hoje?

Ok James, agora só falta tirar a camisa

Você fez tudo valer a pena? ou você sentiria a consciência pesar achando que faria tudo diferente, que está tudo errado, que nada está ainda do jeito que você espera. E se sua vida fosse tirada de você antes mesmo que você diga "Eu te amo" para todas as pessoas que são importantes na sua vida e antes me dizer "Sinto muito" por todas as vezes que você fez algo que deixou alguém triste ou magoado.

Se a sua vida acabasse hoje, como você seria lembrado? pense um pouquinho e reflita se é da mesma maneira que você queria ser lembrado? Quantas pessoas  estariam triste pela sua perda, sentiria falta das coisas que você faz ou fala, de pequenos detalhes das nossas atitudes que nem sabemos que temos. Tipo, aquele sorriso de lado quando estamos tímidos e aquela risada sincera de alguma coisa que não esperávamos que fosse engraçado. Um jeito de tirar o cabelo do rosto ou um forma de acalmar divertida. Ou diria " Se ela estivesse aqui, faria tal coisa dessa maneira, porque ela gostava assim" ou qualquer coisa tipo isso. 

Se eu partisse hoje, não teria feito metade de tudo que queria fazer, não teria me formado em Nutrição e começado uma carreira interessante num hospital onde todos diriam como "Ela é linda e simpática. Muito meiga! Adoro trabalhar com ela porque está sempre com um sorriso enorme no rosto e sempre animada para trabalhar!" e outras coisas lindas que todos os meus co-workers irão dizer de mim em um futuro muito próximo. Eles ainda me dariam lindas cestas de frutas no Dia do Nutricionista.

Não teria ainda encontrado meu grande-amor-da-minha-humilde-vida, aquele cara inteligente (porque né, me escolher para amar por toda vida é muita inteligência, eu tenho que dizer), bonito e super gentil que quando eu  acordasse o veria  de manhã tomando o seu café da manhã sentado na varanda lendo o jornal sem camisa e abriria um grande sorriso e iriamos discutir algum assunto bobo. Aliás, ele ainda seria do tipo que deixa pequenos post-its escondidos em lugares inusitados só para eu não esquecer de pensar nele durante o dia. Eu realmente não posso morrer hoje.

Não saberia como seriam a aparência dos meus filhos e nem como seria lidar com uma casa-só-minha-com-meu-próprio-gato-de-estimação. Não teria conhecido metade dos lugares que desejo conhecer e nem falado de como Deus é bom comigo a cada dia ( É muita bondade de Deus me deixar ter um marido lindo e um trabalho legal). Eu mal posso esperar para ver minha mãe e meu pai lidando com os netos, certeza que não posso morrer antes de ver isso.

E se você morresse hoje?

quarta-feira, 18 de maio de 2011

New Girl


Quero muito ver, só porque:

a) Me identifiquei com a parte que ela chora em "Time of my life";
b) Em geral também sou um desastre em relacionamentos;
c) Queria muito ter amigos gatos e legais como os dela;
d) E é com a Zooey, que é tipo Robert Downey Jr das garotas.

sábado, 7 de maio de 2011

O Guia do mochileiro dos coletivos

Todo santa manhã do dia tenho o prazer de pegar um coletivão ( e bota coletivo nisso) para ir à faculdade. Como é o horário que praticamente todo mundo tem que sair de casa para ir trabalhar/estudar sempre tem congestionamento e o ônibus está sempre lotado. Então, me aperto entre os passageiros e vou o máximo que posso para o fundo.

Toda pessoa que costuma pegar ônibus diariamente desenvolve habilidades especiais, como se equilibrar com uma só mão enquanto segura uma bolsa ou livro na outra, sendo o nível master se equilibrar sem as duas mãos! ou se deslocar para o fundo no ônibus sem encostar na bunda dos outros que estão em pé no meio do ônibus. É um sanduíche humano, quem fica no meio é sempre muito espremido (é por isso que o alface está sempre murcho, pense nisso).

Ir para o fundo, em um ônibus lotado, significa tem um lugar para sentar muito antes de você descer no seu ponto. Já repararam que ônibus fica sempre lotado, mas uma parada antes de você descer sempre tem um lugar vazio que absolutamente NINGUÉM quer? é quase uma conspiração de um submundo natural ou lei da termodinâmica dos transportes coletivos ou sei lá. Enfim, no fundo sempre tem alguém que vai descer logo e só precisa tentar adivinhar quem é ficar lá por perto com cara de quem não dormiu de noite, olhando intensamente para a pessoa (estou levemente exagerando, eu sei). Aliás, não se pode dormir no ponto, se você se distrair com alguma coisa, logo um lugar vaga e uma pessoa que está do outro lado da catraca se teletransporta automaticamente para aquele lugar vazio.

Um dos meus passatempos favoritos é sem dúvida ficar olhando as pessoas nos carros na pista ( principalmente para ver se tem algum cara bonito de morrer dirigindo) e ficar imaginando para aonde estão indo, o que fazem ou se forem mais de duas pessoas, do que estão conversando. As vezes, dependendo do carro, batemos uma corrida imaginária e então eu fico acompanhando quem ultrapassa primeiro o semáforo mais próximo. E bem imprevisível, vai por mim. Diversão garantida às 6 e meia da manhã.
Aliás, se vocês forem usuários do serviço de transporte público, sorriam mais, não tem coisa mais deprimente do que olhar para um ônibus e ver todo mundo fazendo cosplay de zumbi. Se você leu até aqui, além de anotar as dicas, repare nisso.

E se você é dos sortudos que confortavelmente se desloca de carro para trabalhar ou estudar, fique sabendo que sempre tem alguém olhando para você ( talvez não como eu criando e recriando a sua vida) e pensando " Podia ser eu ali naquele carro".

domingo, 24 de abril de 2011

The Game

"Nunca deixe que o medo de errar a impeça de jogar" 
- A Nova Cinderela


Sempre me importei muito com os que os outros falavam de mim, e digo com toda sinceridade do mundo que mente para si mesmo quem diz que não liga para a opinião alheia. A verdade é que nos importamos mais com a opinião de uns do que de outros, mas nos importamos. Em certas ocasiões chegamos a dizer " Imagina o que [insira o nome da pessoa aqui] se me visse fazendo isso!" ou algo do tipo.
E porque eu me importo tanto? não sei, mas não consigo viver com a sensação de que alguém ficou desapontado comigo. Ando em tantos círculos sociais distintos que é impossível agradar a todos, mas sempre parei para pensar o que determinada pessoa pensaria de mim se fizesse tal coisa. 
Mas comecei a analisar as outras pessoas ( porque né, se elas analisam a minha, porque eu não posso avaliar a delas?) e percebi que elas aparentemente não se importam em desapontar os outros. Como conseguem viver desapontando os outros e ainda ser feliz? eu não sei. E é triste pensar que alguém se fechou tão fortemente numa redoma de vidro para pensar que o mundo gira em torno de si mesmo. 
Não podemos viver sozinhos, somos seres sociais, se você desaponta as pessoas ao seu redor ( amigos, família, pessoas que vivem com você todos os dias, etc) o que lhe sobra?
Mas então cheguei a conclusão que mesmo me importando com o que os outros pensam, não deveria deixar o medo de errar me impedir de jogar! E as coisas começaram a melhorar para o meu lado e chegaram a ficar tão boas, que nem acredito que seja verdade. Quer dizer, eu não confio em uma vida 100% feliz, até porque como diz meu amigo Schoppenhauer " ...vida perfeita é um tédio, cara!" ou algo do tipo, e logo fico desconfiada se algo ruim vem por aí nos próximos capítulos. O que quero dizer é que devemos parar de ter medo de viver, é isso. Mais nada.

Ps: Esse filme ilustra tão bem o que eu pensei, embora seja mentira o que a personagem da Hillary Duff disse no último quadrinho, porque ela realmente se importava com o que os outros pensavam dela sim, só que no fim ela estava tão (mãe, perdoe me pela palavra feia) lascada que já não tinha como ficar pior... OH Meu DOG, porque o ano passou tão rápido e dia 12 de junho já está aí? do que eu estava falando mesmo?

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Sucker Punch

Babydoll

Sábado passado fui comprar minha mochila na livraria do shopping e vi que o filme já tinha chegado nos cinemas daqui. É óbvio que eu tinha que estudar, então eu fui para a parada esperar minha mercedes particular, mas não passou por nada nesse mundo e eu tive infelizmente que voltar e assistir o filme. Devo ter relutado comigo mesmo por uns 30 segundos para não voltar para casa e estudar, mas meu cérebro chegou a conclusão de que ele é que manda em mim e se ele não queria estudar, não havia nada que eu podia fazer. 
Eu tinha visto o trailer fazia algum tempo de modo que eu nem me lembrava da história. Só sei que o filme me cativou nas primeiras cenas, com a fotografia, as músicas e a narração. Não conseguia entender a história de forma que tive que prestar atenção e não sabia como ia terminar. Porque é sério, a história não faz muito sentido e faz todo o sentido. Sabe, tipo filme francês?


Bem, o filme supostamente conta a história de Babydoll, que é internada no hospício pelo padrasto depois da morte da sua mãe para ficar com o dinheiro da herança ou alguma coisa assim sem importância ( Perceberam que eu sou uma maravilha para fazer resenhas?). Então é começa uma porção de eventos que não sabemos distinguir se é real ou é imaginário. Lá no hospício, Babydoll conhece outras meninas que vivem lá, mas no fim eu descobri que essas meninas são emoções da própria Babydoll. Não é incrível? eu não sabia disso quando eu estava vendo o filme, então tudo ficou meio bobo. Mas depois que eu descobri eu pensei "A-ha, que interessante!"


O filme conta com a linda Jena Malone, Emily Browning e a totalmente dispensável Vanessa Hudgens.
Quem já assistiu o que achou? me contem! E quem não assistiu corre para os cinema
para vir aqui me contar depois o que acharam e podermos comentar sobre o filme sem ser spoiler!
P.S: Continuem respondendo o formulário! Eu sei que eu não sou uma master do Google Docs, o que fez com que o formulário tivesse perguntas repetidas e sei lá mais o quê, mas é muito útil a respostas de vocês. Embora como não é com identificação, não sei quem é que respondeu. O que é bom e ruim, ao mesmo tempo. Então além de responder ao formulário, agradeço se comentar normalmente. 

Atenciosamente, Thamy
(que está levando pau nas matérias antes mesmo das provas)


sexta-feira, 8 de abril de 2011

Quem é você?


Eu sei, eu sei. Vocês devem está se perguntando o que a Thamy andou tomando dessa vez ou porque ela não para com essa onda de post filosóficos. Mas tcharam! dessa vez deixei todos os filósofos que eu "conheço" dentro do livro de filosofia e vim conhecer mais sobre vocês leitores do jaquetaesaia! Oba.
Claro que, fazendo um formulário para saber quem são as pessoas que me leem eu corro um sério risco de descobrir que nem uma singular alma vem aqui aqui para ver o que está rolando na minha badalada vida. Ok, parei com a ironia.




Todo mundo pronto?



Não conseguiu enviar por aqui ou visualizar? clique aqui 
P.S: Adoraria que até mesmo aqueles que não comentam por preguiça, digo, por alguma razão de ordem superior responda.

domingo, 27 de março de 2011

A week as Freshman

Thamy na volta às aulas.

Esperei uma semana, para não passar a primeira impressão que tive de tudo, porque meu primeiro dia foi muito bom de um modo geral. De um modo geral.

Rotina:
Acordei de madrugada ( 5h da matina), morrendo de sono, proporcionado por várias semanas de férias onde eu dormia as 2h e só acordava lá pelas 10h para ir para academia. Então, como podem perceber eu acordei na hora que costumo ir deitar. Mas porque tão cedo Thamy? Porque eu moro onde Judas perdeu o juízo depois de andar por horas com os pés descalços. Peguei o baú lotado as 6:20 para chegar as 7:30 na Unb. No primeiro dia descobri que as 'janelas' entre uma aula e outra estavam todas ocupadas por aulas duplas, e foi um choque gigante para mim que estava pensando em liberar a minha atleta interior ( se é que eu tenho uma em alguma lugar aqui dentro) e me matricular em aulas de badminton ou vôlei nesses meus horários livres. E, para completar seria mais ou menos 8 horas de aula por dia. Minhas aulas terminam às 18h, o que significa que chego em casa por volta das 20 horas. Vida social para quê né?

Explicações gerais:
O curso de Nutrição está localizado na FS (Faculdade da Saúde), mas temos aulas no IB (Instituto de Biologia) e no ICC, que é onde fica as salas de aula da maioria dos cursos. Então, a gente não fica só em um prédio, mas em 3. Isso significa andar de uma lado para o outro de aula em aula, como somos calouros, nos perdemos facilmente para procurar as salas e teve um dia que passei 15 minutos rodando de uma ponta a outra do ICC. Só sei que no fim do dia meus pés doem mais do que de bailarinas. Andei muito essa semana, ainda mais depois que tive que ir nos Achados e Perdidos de vários lugares que eu passei para procurar minha identidade que eu perdi no primeiro dia. Sinto dor em partes do meu corpo que eu nem sabia que tinha. E acho que não conheci nem metade do campus.

Bibioteca:
Fica a uma distância de 3 dias de viagem da FS e a maioria dos livros está em inglês! (Hello?!) Não sei como, mas todos os livros que os professores indicaram para a gente estudar que estavam em português, foram subitamente emprestado em questões de segundos pelo pessoal da minha turma. Mas nós alunos podemos pegar até 10 livros e ficar 15 dias com eles ( e até renovar para ficar mais!), o que me faz uma nerd totalmente feliz com a quantidade de livros disponíveis para eu ler - não que eu tenha tanto tempo - e mais triste, porque tenho certeza que nenhum aluno da minha turma vai devolver os livros indicados pelo professores antes das provas. =/

Alimentação:
Como vocês queridos leitores, que por alguma razão que ainda não sei dizer, ainda estão lendo essa parte aqui, devem ter percebido, eu vou passar o dia inteiro por lá, então de algum modo tenho que me alimentar lá também. Isso significa lanchezinhos rápidos nas lanchonetes do ICC e o almoço no RU (Restaurante universítário) que é onde a gente adquire anti-corpos para ganhar resistência a doenças e resistir 4 anos ou mais de curso. A maioria das meninas da minha sala não gostam de comer lá - Porque é horrível! -, mas eu sou 'Macho' de verdade e como lá bravamente! ( mentira, eu sou pobre e não posso gastar muito com almoço no Spoleto, Subway ou restaurantes próximos de lá todos os dias). O suco é muito doce e muito forte, acho que se eu tomar todos os dias durante um mês eu consigo uma linda Diabetes tipo 2 rapidinho. E talvez uma deficiência renal. A carne é tão boa que me fez almoçar no vegetariano umas 3 vezes essa semana e achar que estava uma delícia.

Caloura feliz :). Ps: não reparem nas minhas pernas brancas e gordas.

Considerações Finais: 
Apesar de querer férias no primeiro dia de aula, de querer dormir o dia todo, de andar muito e todas as reclamações que se pode fazer: Eu não poderia estar mais feliz!

quarta-feira, 9 de março de 2011

O Desprazer de malhar



Voltar para academia depois de dois anos sem olhar para uma esteira é no mínimo o maior desafio que a minha preguiça pode enfrentar. Encarar os antigos colegas de malhação também não é nada legal. 
Mas então, como toda a nossa força de vontade que temos no primeiro de dia de todas as dietas que começamos - "Não quero saber de lasanha, de doces e até mesmo chocolate", prometemos a nós mesmo nos dias mais extremos de auto-consciência da nossa gordura - vamos para a academia, vestimos uma LEGGING e uma camiseta bem folgada para esconder todos os animais natalinos que eu comi o ano passado e me inscrevo para voltar a malhar.

Logo no começo, eles já nos expõem a uma humilhação pública: avaliação física. A recepcionista te leva para um daqueles professores que parecem modelo de capa da Runners fazer uma avaliação para ter certeza que você não vai morrer andando de esteira por mais de 10 minutos ( vai dizer que você não pensou em chamar ele para dizer que seu coração não está aguentando, suas pernas estão quase desmanchando e você está quase tendo tendo um ataque cardíaco - é a primeira coisa que eu penso para pular os mínimos 30 minutos tediosos na esteira) onde ele vai te perguntar quanto você estava pesando da última vez que você se pesou, e o pior! não adianta mentir porque ele logo vai te pesar, então se você arredondar 5 kg para baixo, ele vai saber e você vai se passar por mentirosa. Triste. Dai então começa a medir suas dobras cutâneas, popularmente conhecido como pneuzinhos e você quase morre de vergonha, mas a pessoa nem se importa, faz isso tão naturalmente como se apalpar gorduras alheias fosse coisas a coisa que a gente faz desde que nasce.

Então, depois eles te liberam para ir pra bicicleta, enquanto eles tiram uma ficha detalhada explicando de milhões de maneiras diferentes que você está gorda. Fato. Você se sente triste e acabada, apta a mudar de vida,  subitamente a gente quer perder todos os quilos acumulados ao longo dos anos em 40 minutos de esteira, 20 de bicicleta e mais a malhação para deixar você subitamente com o corpo da Gisele B. Mas isso infelizmente não é possível, então a gente tem que ir para a academia todos os dias e além da costumeira esteira e bicicleta, musculação temos que marcar ponto em aulas de jump, spinning, axé, forró, step, pilates, ginástica localizada e abdominal, e eu já fico cansada só de listar as opções.

Tudo bem que há uns anos atrás eu listei "Os prazeres de Malhar". Tudo bem, eu não tiro a razão da Thamy de 2008, ela estava certa e era nova e não tão preguiçosa quanto a Thamy de hoje. Mas parece que todos os caras bonitos da academia se foram. E as mulheres gordas também, de tal modo que me sinto a única chubby do recinto. Parece que eu malho junto com todas as modelos da Victoria Secrets. 

Volto logo assim que eu descobrir o segredo de malhar sem suar a chapinha ( sério, como tem menina que consegue essa proeza?) ou a teoria do gravidade para pessoas que estão nas aulas de jump.


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Sobre pessoas efusivas ou críticas


Sou uma pessoa efusiva. Claramente não posso evitar que sorrio para as pessoas na rua, faço caretas para criancinhas e todo mundo é meu amigo até que me provem o contrário.
Eu gosto das pessoas. Mesmo aquelas que usam crocs. E leggings indiscriminadamente. Porque, por mais diferentes de mim que sejam, são pessoas com sentimentos e emoções. Pessoas que amam, que choram, que ficam ansiosas para começar o primeiro dia de trabalho, da escola, pessoas que adoram feriados e gostam de ouvir músicas, nos mais variados estilos, pessoas que ficam com as bochechas coradas quando sentem vergonha e que odeiam acordar cedo. Pessoas como eu e como você, que sentem inveja (alguns de forma muito mais descontrolada do que outros, devo admitir) e que sentem a frustração de querer algo e não ter.
Mas ó esses seres humanos [suspiro longo como quem reflete uma vida looonga de realizações] eles nos dão dor de cabeça. Nos fazem sentir raiva e fazem de tudo para nos irritar. Falam coisas da qual muitas vezes nem pensaram no assunto (e quando indagadas sobre, não lembram nem mesmo que um dia chegaram falar tais 'absurdos'). E então, surge a minha tristeza em ser efusiva.
As pessoas andam tão mal-humoradas ou se sentem tão desvalorizadas, que acham estranho alguém conversar com você na fila de espera do banco ou desconfiam quando alguém sorri para você (eu mesmo sempre confiro se meu cabelo está no lugar ou se tem papel higiênico pendurado na minha saia). Talvez seja culpa do mundo moderno muito crítico (viu? estou criticando o mundo atual) onde você não é capaz de seguir uma tendência, porque existem tantas. Por exemplo, é inevitável encontrar alguém falando mal de algo que você gosta ( desculpa aí se você usa crocs ou legging - Pelo AMOR do bom Deus JAMAIS use os dois juntos!) e ficar ofendido por isso, é inevitável. E todo mundo gosta de tanta coisa, porque pela razão acima já citada, nos somos humanos.
Sou uma pessoa efusiva e não consigo evitar e vou sair na rua sorrindo, para as pessoas também acreditarem que sempre tem alguém lá por elas. Ou pelo menos para elas se sentirem muito mais confiantes nesse mundo moderno cheio de pessoas críticas e criticadas.



terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sobre o dia que dei a sorte de passar no vestibular


"Quando você entra em uma situação tensa, e tudo vem contra você até parecer que você não conseguiria aguentar nem mais um minuto sequer, não desista, pois esta é justamente a situação e momento em que a maré irá virar." 
--Harriet Beecher Stowe 



Todo mundo aqui em casa sabia que eu tinha passado a semana inteira sem dormir, principalmente quando alguém me acordava cedo e eu falava "Não estou conseguindo dormir, PORQUE RAIOS VOCÊ ME ACORDOU CEDO?" embora as respostas eram sempre variantes do tipo "Sério? do jeito que você estava ali na cama não parecia que tinha problemas com o sono".
Eu realmente não conseguia dormir e o dia do resultado parecia não chegar nunca. Então me arrumei para ir para a casa da Ana logo de manhã (queríamos fazer o dia passar mais rápido), o plano era almoçar e ficar fazendo hora no Parque da Cidade até chegar 5 horas.
Mas as horas voaram e quando pegamos o metrô já eram 15h. Então, apesar do meu medo imenso de ir para UnB, eu estava com muita preguiça de fazer uma escala no parque da cidade, decidimos ir direto para a Unb.
Deus sabe o quanto eu estava morrendo de medo porque não conseguia para de dizer "What am I doing here?". Estava cansada, me sentia deslocada e não queria que as pessoas descobrissem que eu tinha ido lá olhar o resultado, porque se eu não passasse todo mundo ia me ver desmanchar em lágrimas.
A Ana se aproveitou de todo o suporte que eu estava dando para ela e, inevitavelmente saia me arrastando por lá para a gente chegar perto do mural. Em todos os lugares eu conseguia ver muitos estudantes com sacolas de ovos, farinha, tinta e bebida alcoólica  e isso me fazia pensar que se eu não passasse também com certeza iria fingir que passei só para não ter que ouvir o povo falando que eu podia tentar uma próxima vez e falando "Não fica assim não Thamy!"
Quando eu vi a concentração de alunos, faltando 5 minutos para às 5h, gelei. Às 5 horas eu conseguia ouvir os gritos dos novos calouros e uma chuva de ovos para tudo quanto é lado. Nessa hora comecei a chorar de medo e só olhava para o chão para ninguém ver algumas lágrimas do meu rosto e quando enfim chegamos ao mural, a Ana tremia muito e então ela gritou levemente "Passei Thamires! Vamos olhar o seu agora". Pausa dramática: Não! então ela sai a procura do meu nome e antes que eu possa chegar perto do mural ela solta um grito mais forte e começa chorar "Você Passou!". E nós duas caímos em lágrimas. O irmão dela chega e a abraça chorando junto. Acho que quem viu pensou que nós não tínhamos passado de tanto que a gente soluçava. Então minha irmã me ligou porque ela pesquisou meu nome no site do Cespe e apareceu (ela achou que estava pesquisando no lugar errado, aquela fofa!).
Disseram-me que meu pai ficou emocionado e nem conseguia acreditar e minha irmã ainda fez questão de mostrar a concorrência enorme (25 por vaga) comparado com as poucas  vagas (13). Minha mãe se diz feliz e ainda explica para as amigas "Ela vai fazer faculdade de graça!" quando conta que eu passei.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...